terça-feira, 3 de Novembro de 2009

COMO DESENVOLVER O PLANO TÉCNICO TÁTICO, Leoni Nascimento

COMO DESENVOLVER O PLANO TÉCNICO TÁTICO,
PARTINDO DE PRINCÍPIOS, SUB PRINCÍPIOS E PRINCÍPIOS BÁSICOS


PRINCÍPIOS CONSTRUÇÃO DE AÇÕES
AÇÕES OFENSIVAS
Sistemas de jogo !:3:3 e 1:2:4
Circulando e Desdobrando
Trabalho em microcíclos. AÇÕES DEFENSIVAS
Sistemas 1:6:0, 1:5:1, 1:3:2:1, 1:3:3,
e 1:5+1
Trabalho em microciclos. DIFICULDADES
Jogar em inferioridade 5x6 e 4x5
SUB PRINCÍPIOS
Fases do Jogo Ofensivo
Contra-ataque
Ação construída
Finalização
Jogo por setor, 2x2, 3x3, 4x4,
4x3 e 3x2 SUB PRINCÍPIOS
Fases do jogo defensivo:
Retorno
Zona Temporária
Sistema Adequado
Jogo por setor, 1x2, 2x2, 2x3,
3x3, 3x4 e 4x4 Acerto maior de ações com bola e também sem bola.
Sincronismo nas ações ofensi - vas e defensivas, busca de su- perioridade na ação defensiva ou ofensiva. Controle de jogo mais ou menos agressivo.
PRINCÍPIOS BÁSICOS
Passe, Finalização, Bloqueio,
Engajamento, Decalage, Cru – zamento, Desdobramento,
Ação Convergente, Divergente,
Específicos de Armadores, Pi – vôs e Pontas
Maior ou menor espaço/tempo
Contra-ataque individual e coletivo. Goleiro ofensivo. PRINCÍPIOS BÁSICOS
Deslizamento, Basculação, Co-bertura, Ataque ao adversário com bola, sem bola, Bloqueio Defensivo,Dissuasão, Fecho de espaços, “India”,Defesa Indivi-dual, Técnica específica de go-leiro, ajuste goleiro/defensor, Retorno organizado. Pressão defensiva
Correção de Fundamentos,
Arremessos mais positivos,
Velocidade e potência. Jogo forte no 1x1 assistências no momento certo, prontidão,
Saída defensiva oportuna,
Tranqüilidade e eficiência em Final de jogo e inferiordade ou superioridade numérica.

EXERCÍCIOS QUE IMPLIQUEM
EM MAIOR OU MENOR ESFORÇO DE
ACORDO COM A SESSÃO SE PARA AQUISIÇÃO OU RECUPERAÇÃO TRABALHO GLOBAL: AERÓBIO, ANAERÓBIO
LÁTICO E ALÁTICO, FORÇA, RESISTÊNCIA, AGILIDADE E POTÊNCIA.

CARACTERÍSTICAS DE TREINOS
1º Treino, após jogo – RECUPERAÇÃO.
2º Treino, ½ semana – CORREÇÃO e ASSIMILAÇÂO
3º Treino,l/2 semana – AQUISIÇÃO.
4º Treino, final semana – APRONTO para JOGO DURAÇÃO
80’ a 90’.
120´.a 150’.
120’.
80´a 90’. INTENSIDADE
Moderada
Forte ou moderada
Muito Forte
Moderada

REALIZAR;
Sessões de treinamento partindo dos objetivos táticos da equipe, com bastante repetição, para melhor assimilação dos jogadores, trabalhando as partes, física, técnica e tática de forma global, integrando o grupo na forma de agir, “um por todos e todos por um”. Acrescentar reuniões descontraídas para identificação do grupo com a direção etc. Importante manter os objetivos mesmo trocando exercícios por outros similares. Analisar o programa de treinamento e os jogos, para possíveis mudanças.






LEVAR EM CONTA:

1) QUAL O MODELO DE JOGO A EMPREGAR DE ACORDO COM :
a) A ESTRUTURA (Espaço, Quadra, Pista/Tempo; b) O ELENCO (características físicas, técnicas e táticas dos atletas; c) POTENCIALIDADE DOS ADVERSÁRIOS; d) DURAÇÃO TEMPORADA.
2) ESTABELECER PRIORIDADES, SISTEMA OFENSIVO E DEFENSIVO DE ACORDO COM O PADRÃO DE JOGO;
3) DEFINIR AS EXIGÊNCIAS FÍSICAS, TÉCNICAS E TÁTICAS, INERENTES AS FASES OFENSIVAS E DEFENSIVAS DO JOGO;
4) PARA A CONSTRUÇÃO DOS MICROCICLOS, A SER ESTABELECIDA PARA A TEMPORADA, ATENDER OS MOMENTOS DE RECUPERAÇÃO, AQUISIÇÃO E CORREÇÃO, TANTO NO ASPECTO TÁTICO COMO FÍSICO, POTENCIALIZANDO A PROGRESSÃO, PARTINDO DE AÇÕES MAIS SIMPLES PARA AS MAIS COMPLEXAS;
5) TRABALHO COM EXERCÍCIOS DAS SESSÕES, BUSCANDO UMA MAIOR DIMENSÃO TÁTICA, COM TRABALHO FOCADO NAS FASES DO JOGO, SISTEMAS, AQUECIMENTO COM JOGOS DE FORÇA, VELOCIDADE E RESISTÊNCIA, COM BOLA, CONTRA ATAQUES E RETORNO. AÇÕES SETORIZADAS EM GRUPOS: 1X1, 2X2,3X3, 3X4 E 4X4

OBERVAÇÕES.

Para realizar esse modelo de treinamento, eu dividiria o trabalho da seguinte forma:
1ª PARTE – Aquecimento com objetivos físicos, realizando jogos intensos, como: jogos de 1º passes; cabeçobol, rugby, exercício técnico de esforço contínuo, hand/vôlei na quadra, jogos de força sempre que possível com bola, Estes podem ser com maior esforço nas sessões de AQUISIÇÃO e de menor esforço na sessões de RECUPERAÇÃO.
TODAS AS SESSÕES TERÃO SUA INTENSIDADE CALCULADA SOBRE ESSE ASPECTO, DE ACORDO COM O OBJETIVO EM RELAÇÃO AO PRÓXIMO JOGO (AQUISIÇÃO) E SE APÓS O JOGO, COMO RECUPERAÇÃO OU CORREÇÃO, DEPENDENDO DA NECESSIDADE.
.2ª PARTE – Físico/Técnica – Com objetivos físicos, técnicos e táticos, com exercícios que atendam esses objetivos, sendo importante que contenham atividade ofensiva e defensiva, com exigências de força, velocidade, resistência aeróbia e anaeróbia, segundo Barcenas de “Esforço Contínuo”, ora defendendo, ora atacando por tempo determinado, repouso apenas para trocar de exercício. Nesta parte é primordial enfatizar táticas de grupo (2x2,2x3, 3x3 até 4x4) tanto defensivas como ofensivas usando os fundamentos: passe-recepção, drible, finta, finalizações, etc na parte ofensiva e basculação, cobertura, ataque ao possuidor da bola, bloqueio e etc. na parte defensiva. Sem esquecer que o contra ataque e retorno são importantes para aquisição de velocidade. Com o trabalho por setor, se fortalecerá a relação entre jogadores de posições próximas, tanto no ataque como na defesa, usando os setroes esquerdo, central e direito. Isso dependerá quanto a carga do trabalho, se de aquisição, recuperação ou correção.
3ª PARTE – Técnico/Tática – Com características bem mais táticas, embora o ritmo deva ser ditado pela carga de trabalho, com mais ações táticas de grupo em 3x3 ou 4x4, quando da fase de aquisição, usando as fases do jogo tanto ofensivo (contra ataque, preparação e finalização) como defensiva (retorno, ajuste e defesa adequada.) Treinar exaustivamente os setores, interligando-os, de forma a ter um maior entrosamento da equipe.



4ª PARTE - Apenas Tática – Aqui cabe a repetições das ações táticas a serem desenvolvidas pela equipe na temporada e para a próxima partida de acordo com as características do adversário, até com coletivos em que possa corrigir êrros. Também se poderá no final da parte treinar ações especiais como tiro livre, sete metros, bloqueios contra ataque e etc. de forma descontraída, sem deixar de observar o comportamento dos jogadores. No final, após alongamento, reunir o grupo para o grito de guerra.

Preparo de goleiros – estes devem começar o treinamento pelo menos 15 minutos antes dos demais, realizando um trabalho individual ou em dupla, com exercícios de elasticidade, força, velocidade de reação e outras exigências próprias, isso na 1ª parte, nas demais partes integrar-se no treinamento dos demais jogadores e quando na estiver na baliza, poderá ser indicada outra tarefa para seu melhor condicionamento físico ou técnico, preferentemente com bolas (handebol, bola lastrada, balões. etc).
No final da 4ª parte do treino, participar ativamente dos exercícios.

Leoni Nascimento-BRASIL